25 de Janeiro de 2010 19:34:25
%{artist} - %{title} , (%{year}) (%{time})
    PodCast Ariquemes 190 -- Play para ouvir
Carregando %{time1} de %{time2} (%{percent}%)
  ---  
0:00

This is a normal list of HTML links to MP3 files, which jsAMP picks up and turns into a playlist.

SÃO LUIZ CALÇADOS
Sobreira
Romera

Início » Notícias » Artigos

Artigos

Esta é a maneira mais simples de fugir do stress e ser mais criativo

Esta é a maneira mais simples de fugir do stress e ser mais criativo

03/01/2017

Recentemente nós publicamos aqui no Mega Curioso um guia para ajudar nossos leitores a diminuir os efeitos negativos de ficar sentado por muito tempo. Só para você ter ideia.... Leia Mais

A IGREJA DE CRISTO E OS DONS DO ESPÍRITO

A IGREJA DE CRISTO E OS DONS DO ESPÍRITO

03/01/2017

Também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela. Mateus 16:18. .... Leia Mais

03 TRUQUES PARA SEU CABELO FICAR LINDO

03 TRUQUES PARA SEU CABELO FICAR LINDO

23/11/2016

03 TRUQUES PARA SEU CABELO FICAR LINDO .... Leia Mais

ARIQUEMES: NOTA DE FALECIMENTO – Elenita Sales Xavier

ARIQUEMES: NOTA DE FALECIMENTO – Elenita Sales Xavier

04/04/2016

É com grande pesar que a família de Elenita Sales Xavier de 66 anos de idade informa seu falecimento ocorrido na manhã desta.... Leia Mais

APRENDENDO A DISCERNIR

APRENDENDO A DISCERNIR

09/12/2015

Quem há que possa discernir as próprias faltas? Absolve–me das que me são ocultas. Salmos 19:12..... Leia Mais

A importância do Esporte

A importância do Esporte

07/09/2015

Dá–se o nome de esporte às atividades físicas realizadas por pessoas que se submetem a regulamentos e participam de competições. A prática de esportes beneficia grandiosamente as.... Leia Mais

É possível cuidar da pele e do cabelo em casa

É possível cuidar da pele e do cabelo em casa

07/09/2015

Quem não gosta de se sentir bonito? Mas, a beleza não é algo que vem de graça. É preciso se cuidar, e nada melhor para transparecer saúde e.... Leia Mais

ARIQUEMES: Participe do sorteio de dois Kits para a Expoari no Canal 35

ARIQUEMES: Participe do sorteio de dois Kits para a Expoari no Canal 35

14/07/2015

É isto mesmo, através de uma parceria entre o Canal 35 e a Associação dos Pecuaristas de Ariquemes, o Canal 35 irá sortear dois Kits para a grande festa da 32ª.... Leia Mais

A BÍBLIA É A HISTÓRIA DO EVANGELHO 2

A BÍBLIA É A HISTÓRIA DO EVANGELHO 2

04/07/2015

E chamou o Senhor Deus a Adão e disse–lhe: Onde estás? Gênesis 3:9.... Leia Mais

Descubra os 23 castelos mais bonitos da Europa

Descubra os 23 castelos mais bonitos da Europa

26/06/2015

Existe alguma coisa nos castelos que desperta a magia dentro de nós, não é mesmo? Essas construções imponentes são repletas de muros gigantescos e torres altas que mais parecem ter saído de um sonho..... Leia Mais

Atletas da AECAP destacam–se no Campeonato Estadual de Ciclísmo de Rondônia com três campeões

Atletas da AECAP destacam–se no Campeonato Estadual de Ciclísmo de Rondônia com três campeões

26/12/2014

Em seu primeiro ano de participação no Campeonato Estadual de Ciclismo promovido pela Federação de Ciclismo de Rondônia (FECRO), a Associação Esporte.... Leia Mais

Estes 8 hábitos saudáveis podem melhorar sua vida em menos de 1 minuto

Estes 8 hábitos saudáveis podem melhorar sua vida em menos de 1 minuto

25/11/2014

ando o assunto é saúde, a gente precisa tomar cuidado e tentar manter tudo em dia para ter uma vida longa e com maior qualidade. Aqui no Mega Curioso nós temos um interesse especial .... Leia Mais

VIVO NA MORTE OU FUI MORTO PARA VIVER?

VIVO NA MORTE OU FUI MORTO PARA VIVER?

18/10/2014

Dar–vos–ei coração novo e porei dentro de vós espírito novo; tirarei de vós o coração de pedra e vos darei coração de carne. Ezequiel 36:26.... Leia Mais

CONTENTAMENTO

CONTENTAMENTO

06/09/2014

Seja a vossa vida sem avareza. Contentai–vos com as coisas que tendes; porque ele tem dito: De maneira alguma te deixarei, nunca te abandonarei.Hebreus 13:5..... Leia Mais

CRISE NA SAÚDE PÚBLICA

CRISE NA SAÚDE PÚBLICA

13/02/2014

Artigo: Crise na Saúde Pública 29/08/2013 11:05Por: imprensa Lida 6.668 vezes Artigo publicado na Revista Jurídica Consulex. Por Ricardo C. V. Madeiro A Constituição Federal de 1988 põe a vida como sendo o bem maior dos direitos fundamentais, preceituando em seu art. 196 que a saúde é um direito de todos e um dever do Estado. Enquanto Constituição Cidadã, previu em seu art. 198, III, a participação popular como sendo uma das diretrizes do Sistema Único de Saúde. Entretanto, em que pesem os louváveis diplomas legais criados para garantir e viabilizar a efetivação do direito à saúde no Brasil, enquanto direito fundamental de todos e dever do Estado, é observada atualmente pela sociedade a decadência da saúde pública em todos os estados brasileiros e o consequente sucateamento do SUS, assistido na mais completa inércia ao longo dos anos pelos sucessivos governos brasileiros. A crise na saúde pública do Brasil deve ser considerada sob três aspectos básicos, quais sejam, a deficiência na estrutura física, a falta de disponibilidade de material–equipamento–medicamentos e a carência de recursos humanos. As condições das estruturas físicas das Unidades Básicas de Saúde e dos hospitais são lastimáveis, pois as mesmas se encontram sem manutenção preventiva e/ou corretiva, funcionando muitas vezes em prédios improvisados e inadequados, com instalações elétricas, sanitárias e hidráulicas precárias, pondo inclusive em risco de morte, aqueles que lá frequentam. As péssimas condições de atendimento à população na Atenção Primária de Saúde, porta de entrada do SUS, também é retratada pela falta de equipamentos médicos, mobílias, exame laboratoriais e até mesmo de medicamentos básicos para diabetes, hipertensão, vermífugos ou antibióticos. A dificuldade no acesso e a ineficácia dos serviços prestados na Atenção Primária têm contribuído cada vez mais para a superlotação dos hospitais públicos, onde milhares de brasileiros padecem nas filas, mendigando por uma simples consulta, um exame diagnóstico ou uma cirurgia eletiva. A deficiência no número de leitos obriga os pacientes, na maioria das vezes, a passarem semanas acomodados no chão, em colchões ou em macas, largados nos corredores ou na recepção dos hospitais, à espera de um leito de enfermaria ou de UTI. Tal situação fere não só a dignidade do povo, mas também dos profissionais de saúde que são obrigados a conviverem diariamente com cenas tão fortes. A precariedade dessa situação fática leva ao retardo no diagnóstico de doenças e, consequentemente, uma piora em muitos prognósticos, podendo ocasionar em alguns casos, a própria morte, antes mesmo do atendimento. Na área dos recursos humanos, tome–se como exemplo o Município de Fortaleza, uma das maiores capitais do Brasil, sede da copa em 2014, que em recente visita realizada pela Comissão de Saúde da OAB–CE, acompanhada pelo Ministério Público Estadual, Conselhos Estadual e Municipal de Saúde e os representantes de todos os Conselhos Regionais da área de saúde, foi constatada que cerca de 60% de todos os profissionais da área da saúde são contratados com vínculo precário de trabalho através de empresas terceirizadas ou cooperativas, em total afronta à Constituição, que exige a aprovação prévia em concursos públicos para a investidura em cargo ou emprego público, ressaltando–se que a carência de médicos no SUS, se dá principalmente, pela falta de concursos públicos. O Governo Brasileiro deliberadamente vem substituindo os Concursos Públicos por contratações via ONG, Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), Cooperativas de Serviços ou a EBSERH, empresa pública dotada de personalidade jurídica de direito privado, o que certamente constitui–se também em retrocesso político. O número de equipes de Estratégias de Saúde da Família (ESF), antigo PSF, também se revelou insuficientes, atendendo apenas a 40% da demanda. Tudo em desacordo com a Portaria Ministerial Nº 2488/GM de 21/10/2011. Impõe–se ainda lembrar, que na periferia das grandes cidades, a ausência de segurança quando da realização das visitas aos moradores em área de risco, acaba por muitas vezes, inviabilizando o trabalho domiciliar das equipes de ESF. Diante do clamor público do último mês, aonde o povo manifestou sua revolta ante o descaso em vários setores que envolvem direitos fundamentais, o Governo Brasileiro, no apagar das luzes dessa gestão, fazendo ouvidos moucos às vozes dos que fazem o Controle Social, anunciou o que denominou de “Pacto Nacional Pela Saúde Pública”, numa aparente tentativa de imputar à categoria médica, a responsabilidade pela caótica situação em que se encontra a saúde pública no Brasil. Referido Pacto, ao que demonstra, parece mais um projeto desenvolvido para uma campanha eleitoral do que propriamente para solucionar ou pelo menos minimizar os graves problemas na saúde, vivenciado por esta gestão. A questão da importação de médicos estrangeiros sem revalidação de diploma representa verdadeira ofensa à Constituição, seja em relação ao seu artigo 5º, XIII que dispõe acerca das limitações para o exercício das profissões regulamentadas, cujas atividades para serem exercidas têm que obedecer à legislação específica de cada caso, o que implica aí na obrigatoriedade, além da formação acadêmica, do registro do diploma no respectivo Conselho ou Órgão Fiscalizador da Profissão, seja em relação a exigência do seu artigo 37, II, no qual aduz sobre a aprovação prévia em concurso público para a investidura em cargo ou emprego público. É através desse processo de revalidação que resta reconhecido se os diplomas de cursos de graduação expedidos por estabelecimentos estrangeiros são equivalentes aos diplomas emitidos no Brasil, garantia essa necessária para atestar a segurança e a qualidade da assistência à saúde. Ademais, garante o Governo que a autorização concedida a estes médicos diplomados no exterior, sem o revalida, será restrita a determinado município, estando estes, inabilitados para exercerem a medicina nos grandes centros. Além de não entendermos os motivos da discriminação, também não entendemos como seria feita a fiscalização destes profissionais pelo Conselho Federal de Medicina. A outra providência legal do Governo Federal, foi a que elevou a carga horária dos cursos de medicina de 6 para 8 anos a partir de 2015, com início previsto para o próximo governo. Além de não possuir efeitos práticos, já que, se por um esforçado exercício de imaginação, fosse uma medida notável, só virá a ocorrer a partir de 2023, por ser extemporânea, traz consequências graves, como por exemplo, o custeio da supervisão dos médicos oriundos das faculdades particulares durante esses dois anos por parte do governo federal. Na verdade, não dá para deixar de notar o contrassenso entre essas medidas, pois ao tempo que o Governo Federal autoriza a importação de médicos diplomados no exterior, sem se preocupar com a sua qualificação através da revalidação do diploma, parece crer na falta de capacitação do médico brasileiro após 6 anos de faculdade, já que entende necessário o aumento da carga horária do curso de medicina no Brasil. Com essa medida, resta claro que a real intenção do Governo não seria a desconfiança na falta de capacitação dos profissionais após 6 anos de curso, já que os mesmos, nesses 2 anos relativos ao aumento da carga horária vão, na verdade, suprir a deficiência de médicos, sendo lotados nos hospitais do SUS com uma autorização provisória para exercício da medicina, a custos módicos de uma bolsa estudantil. Estudo demográfico médico realizado no Brasil pelo CFM e CREMESP, entre 1970 e 2011, demonstrou que o número de médicos no Brasil passou de 58.994 para 371.778, já tendo atingido hoje a 400 mil médicos, o que significa dizer que o número de médicos aumentou algo em torno de 530%, enquanto a população no mesmo período aumentou 104,8%. A razão médico/habitantes de 1980–2011 aumentou 72,5%, ou seja, esta relação saltou de 1,13 médico por 1.000 habitantes em 1980 para 1,95 em 2011. O Brasil é o quinto país do mundo com o maior número de médicos, porém com uma grande desproporcionalidade no que se refere à distribuição entre as regiões brasileiras[1]. Daí que a primeira preocupação deveria ser em incentivar o profissional médico a iniciar sua carreira nas zonas rurais, dando–lhe a expectativa de promoções aos centros urbanos. O certo é que há muito tempo impõe–se uma reforma na carreira dos médicos e de outros profissionais da saúde voltados para o exercício da profissão na seara pública, demandando a contratação de profissionais somente por meio de concurso público, pondo fim às práticas do nepotismo e do clientelismo, atraindo assim os profissionais para as regiões mais distantes. A questão está longe de ser um problema apenas de carência de médicos. O que se tem na verdade é a hipocrisia governamental, que para se esquivar de sua responsabilidade ante a caótica situação do belíssimo direito universal e gratuito à saúde criado pela Constituição de 1988, queira puni–los com medidas legais “enfiadas goela abaixo”, e, pior, maculando a imagem do médico perante a sociedade mais carente, pois é o profissional médico quem está na linha de frente junto a essa população que pensa que o ‘doutor’ poderia resolver tudo se quisesse. Os médicos sim são forçados a trabalhar numa estrutura precária, improvisada e, muitas vezes, expondo a sua integridade física, moral e ética, como se de “guerra” fosse, cujos sonhos de realizar o bem maior através do compromisso de oferecer assistência ao próximo, após anos de estudo e sacrifícios pessoais, estão oprimidos pela realidade do atual sistema público de saúde brasileiro. A população e os profissionais de saúde pedem socorro! Só não sabem a quem! .... Leia Mais

DOENÇA MENTAL ELAS SÃO RESPONSÁVEIS P/ 14% DO TOTAL DE TODAS AS DOENÇAS REGISTRADAS NO MUNDO

DOENÇA MENTAL ELAS SÃO RESPONSÁVEIS P/ 14% DO TOTAL DE TODAS AS DOENÇAS REGISTRADAS NO MUNDO

07/02/2014

Publicada série de artigos sobre doença mental na revista The Lancet: elas são responsáveis por 14% do total de todas as doenças registradas no mundo A série The Lancet Global Mental Health Series, desenvolvida por um grupo internacional de especialistas em saúde mental e em saúdepública com base em literatura científica e em dados da Organização Mundial de Saúde, foi publicada na revista médica The Lancet desta semana. São seis artigos que indicam a necessidade de definir estratégias para reduzir o impacto e a incidência das doenças mentais na população mundial. As doenças mentais são responsáveis por 14% do total de todas as doenças registradas no mundo. A depressão é a que origina o maior índice de incapacidade crônica com graves conseqüências na saúde física e na incapacidade social dos indivíduos. Dados da Organização Mundial de Saúde revelam que as doenças neuropsiquiátricas estão na origem de 1,2 milhões de mortes anuais e 1,4% de anos de vida perdidos, principalmente devido à demência, doença de Parkinson e epilepsia. Cerca de 800 mil pessoas cometem suicídio ao ano, 86% dos quais nos países com baixos rendimentos e rendimentos médios. Mais de 50% dessas pessoas têm entre 15 e 44 anos de idade. Os países mais pobres são os mais afetados e também os que menos investem no tratamento destas condições – cerca de um terço não possuem orçamento público dedicado às doenças mentais. Cerca de 30% da população mundial irá sofrer de algum tipo de disfunção mental e pelo menos dois terços dessas pessoas vão receber tratamento inadequado ou nenhum tratamento, mesmo nos países com melhores recursos. Fonte: The Lancet NEWS.MED.BR, 2007. Publicada série de artigos sobre doença mental na revista The Lancet: elas são responsáveis por 14% do total de todas as doenças registradas no mundo. Disponível em: <http://www.news.med.br/p/saude/11705/publicada–serie–de–artigos–sobre–doenca–mental–na–revista–the–lancet–elas–sao–responsaveis–por–14–do–total–de–todas–as–doencas–registradas–no–mundo.htm>. Acesso em: 7 fev. 2014. sexta–feira, 7 de fevereiro de 2014 .... Leia Mais

A  Educação e  seus desafios no Brasil de hoje

A Educação e seus desafios no Brasil de hoje

31/01/2014

A Educação e seus desafios no Brasil de hoje Erika de Souza Bueno A educação brasileira sempre se viu desafiada frente a importantes temas, tais como a qualidade da educação básica, o acesso à educação superior e a formação de seus professores. Além desses temas, há grande destaque para as metas do PNE (Plano Nacional de Educação), no qual grandes e polêmicos desafios se mostram à nossa educação. Apenas para dimensionar para o leitor essas metas, o Plano prevê universalizar, até 2016, a Educação Infantil a crianças de 4 a 5 anos, Ensino Fundamental de nove anos para todos entre 6 e 14 anos, bem como ofertar ensino médio à população de 15 a 17 anos. Somando–se a essas metas, há também o objetivo de alfabetizar todas as crianças, no máximo, até o final do 3º ano do Ensino Fundamental, e, ainda, oferecer Educação em Tempo Integral em, no mínimo, 50% das escolas públicas. Há grande destaque, ainda, para a Formação Continuada e valorização dos professores. Esses e outros desafios previstos no PNE não podem ser desconsiderados, dado que estamos falando de vidas, ou seja, de inúmeras crianças e jovens que, dia a dia, estão diante de nós. Eles não podem ser frustrados, precisam encontrar na escola seu porto seguro, um lugar que promova a cidadania por meio do conhecimento e que sabe respeitar as formas de aprender de cada um deles. Ads by Keep NowAd Options Para vencer qualquer entrave que possa surgir no caminho, municípios de várias regiões do Brasil têm, por meio de parcerias com a Planeta Educação, conseguido elevar o nível da qualidade da educação ofertada aos seus cidadãos, o que se dá, por exemplo, a partir de metodologias inovadoras como os Programas Educação em Tempo Integral, Cinema e Educação, Ensino de Línguas, Qualificação de Gestores, Pró–Família, Matemática Descomplicada, Aprendizagem Sistêmica, Informática Educacional, entre muitos outros. A Educação em Tempo Integral, por exemplo, conta com diversas oficinas, com métodos inovadores que estimulam os alunos a desejarem o conhecimento. Entre esses meios, são destaque as oficinas de Alfabetização e Letramento, Literatura e Leitura, Artes Visuais, Dança, Música, Fanfarra e várias modalidades de Esportes. Tudo isso comprova que os desafios da educação brasileiros podem ser vencidos e superados por meio do contato, da conversa e da troca de experiências, o que envolve alunos, pais, professores, coordenadores, gestores e, claro, a comunidade em que a escola faz parte. Erika de Souza Bueno é Editora do Portal Planeta Educação (www.planetaeducacao.com.br) e Coordenadora Educacional da empresa Planeta Educação; Professora e consultora de Língua Portuguesa pela Universidade Metodista de São Paulo; Articulista sobre assuntos de língua portuguesa, educação e .... Leia Mais

Tigrão Veículos
Novalar
Farmácia Paraná
Rondon Cap

www.ariquemes190.com.br
Copyright © 2008 - 2017 Todos os direitos reservados

Site desenvolvido por Softwei, Buscazip, Guiaking Empresas