25 de Janeiro de 2010 19:34:25
%{artist} - %{title} , (%{year}) (%{time})
    PodCast Ariquemes 190 -- Play para ouvir
Carregando %{time1} de %{time2} (%{percent}%)
  ---  
0:00

This is a normal list of HTML links to MP3 files, which jsAMP picks up and turns into a playlist.

Romera
Sobreira
SÃO LUIZ CALÇADOS

Início » Notícias » Ariquemes » Exibindo Notícia

Dario Cirurgia Notícia

Data: 16/05/2017 Compartilhe esta notícia

Ariquemes ganha unidade de segurança integrada com queda histórica no índice de homicídios no Vale do Jamari

A queda da taxa de homicídios no primeiro trimestre deste ano na região do Vale do Jamari foi tema recorrente na cerimônia de inauguração da Unidade Integrada de Segurança de Pública (Unisp) de Ariquemes, no sábado (13). As estatísticas mais recentes revelam que os crimes foram reduzidos em 61% na região.

Os números apontam para a pacificação da região que é considerada a mais violenta do estado. Só Ariquemes tem 105 mil habitantes. Outros 145 mil residem nos municípios próximos.

“Oferecemos, a partir de agora, um ambiente digno para quem trabalha e para quem precisa de atendimento, mas isto custa muito”, disse Lioberto Caetano, secretário de estado da Segurança, Defesa e Cidadania, referindo-se aos esforços para superar obstáculos burocráticos, planejar e concluir a obra. A construção chegou a ficar um ano e meio parada.

Caetano acrescentou que a Unisp simboliza a união de forças policiais contra o crime. O prédio amplo e moderno está localizado na avenida Tancredo Neves, Setor Institucional, ao lado do Fórum da cidade.

A Unisp de Ariquemes é de grande porte. Comporta instalações para as Polícia Civil e Polícia Militar, além do Corpo de Bombeiros. Há espaço também para que assistentes sociais e psicólogos atuem auxiliando nas ocorrências de pequenos delitos.

A obra custou R$ 3,6 milhões, dinheiro do Programa Integrado de Desenvolvimento e Inclusão Socioeconômico do governo estadual (Pidise) financiado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

O conceito de integração dos organismos policiais instalados num prédio único, segundo o governador Confúcio Moura, chega para mudar paradigmas. Para ele as forças policiais não conseguem atingir metas atuando isoladas.

O secretário George Braga, do Planejamento, Orçamento e Gestão, detalhou outro objetivo: uma experiência local para a unificação das polícias. Ser der certo em Rondônia será exemplo para outros estados brasileiros que também discutem esta possibilidade.

Unificar as polícias para ampliar a eficácia da segurança pública não é fácil, admite o governador. Ele concorda que o orgulho e a vaidade podem ser empecilhos a ser enfrentados.

Até agora já são nove as Unisps inauguradas no estado. Os municípios da região, como Machadinho do Oeste e Cujubim já têm suas unidades integradas. Para a de Buritis faltam poucos detalhes para ser inaugurada.

A operacionalidade deste modelo tem grande significado para Confúcio Moura. Saudado como o governador melhor avaliado no País por conta das promessas cumpridas, Confúcio quer inovar também para conter a superpopulação dos presídios. “Vamos trazer um especialista em mediação para evitar que casos mais simples se transportem para inquéritos e acabem judicializados”, anunciou o governador, que também entregou equipamentos e veículos para assegurar mais eficácia às polícias.

Parlamentares, prefeitos e vereadores da região, pessoas simples que foram à inauguração do prédio pediram mais segurança. Por isto o anúncio de que só no primeiro trimestre houve redução da taxa de homicídios em 41% foi motivo de aplausos demorados.

Mas, às vezes, são necessárias soluções mais funcionais. Confúcio Moura falou sobre fato que ocorreu em Alto Paraíso, município da região: “O padre me chamou e pediu para mandar um delegado para lá. Disse que a situação estava muito difícil, com muita violência. A PM mandou um sargento, não havia delegado disponível. Algum tempo depois encontrei com o padre e ele me falou que não precisava mais de delegado. O sargento tinha colocado ordem na cidade. Tinha tudo sob controle”.

DESAFIO

O delegado regional de Ariquemes, o carioca Rodrigo Silva Duarte, está há seis anos na cidade. Disse que o município tem características diferentes de tudo o que já viu nos sete anos de carreira em Rondônia.

Arredio aos encontros sociais que o cargo pode proporcionar, ela afirma que prefere dedicar-se ao trabalho, um desafio pessoal, como ele próprio define. “Aceitei vir para Ariquemes quando muitos colegas evitavam”.

O policial vê a Unisp como um ambiente que traz conforto e satisfação ao servidor e ao cidadão que necessita de serviços da segurança pública. Sobre a vitória no embate com a criminalidade, disse que depende mais das estratégicas bem planejadas e integradas.

Quando Rodrigo Duarte se refere a ações integradas, inclui o entendimento com o Ministério Público e o Judiciário. A presença do juiz Alex Balman é uma prova do entendimento institucional que faz bem à segurança pública na região.

Ele admite que ainda há um bom caminho a ser percorrido até que a região saia da lista das mais violentas, fenômeno fruto de um passado desorganizado. “Há uma cultura, que está sendo superada, de fazer prevalecer a vontade pela força. Algumas pessoas consideram normal andar armado”, ponderou.

Rodrigo Duarte explicou que os crimes contra a vida mais comuns são cometidos por encomenda, que dependem de pessoas que recebem para isto. Estão relacionados aos conflitos agrário, acerto de conta por  drogas e entre facções. “Estas ocorrências puxam os índices de criminalidade para cima no estado”, acrescentou o policial.

 

 

Fonte
Texto: Nonato Cruz
Fotos: Bruno Corsino 
Secom - Governo de Rondônia
Data: 16/05/2017 Compartilhe esta notícia
Farmácia Paraná
Tigrão Veículos
Rondon Cap
Novalar

www.ariquemes190.com.br
Copyright © 2008 - 2017 Todos os direitos reservados

Site desenvolvido por Softwei, Buscazip, Guiaking Empresas